Património Histórico

A Misericórdia de Cascais detém um vasto património cultural do qual a sua igreja é sem dúvida, um dos elementos edificados mais antigos.

A igreja é de uma só nave e do lado do Evangelho encontra-se uma Capela dedicada ao Senhor dos Passos e Senhor Morto. A sacristia que lhe está anexa é um dos elementos mais antigos deste conjunto arquitetónico, remontando provavelmente à época da sua fundação.
O teto em madeira ostenta pinturas com motivos alusivos à Eucaristia. Ao centro apresenta-se ainda uma pintura do símbolo da Misericórdia de Cascais executado no início do século XIX. Este conjunto arquitetónico, situado no centro histórico da vila de Cascais, é integrado ainda pelo edifício do antigo hospital aqui sedeada até 1941, edifício da farmácia privativa, casa do capelão e antigo celeiro.

O património móvel encontra-se já inventariado e está intimamente ligado às práticas de culto religioso e à realização das procissões das Endoenças e Senhor dos Passos. O seu espólio é constituído por escultura, paramentaria, pintura, ourivesaria, cerâmica e mobiliário.

A igreja contem imagens de São Joaquim e Santa Ana (século XIX), Santa Barbara (século XVII-XVIII), Santo António com o menino (século XVIII), duas Nossas Senhoras (século XVII), uma madeira policromada e uma outra dos séculos XVII/XVIII, uma imagem de Nossa Senhora dos Anjos (século XVII/XVIII) e uma imagem de vulto perfeito em madeira policromada representando a Virgem com o menino “Salvator Mundi” amparado sobre a mão esquerda. Esta apresenta o braço erguido repousando sobre a mão a Maça. O seu rosto é alongado e olha em frente com expressão serena. Há ainda uma imagem do Senhor dos Passos (século XVII/XIX), São Martinho de Tours (século XIX), Santo Amaro (século XVII), São Pedro e dois pares de anjos tenentes do século XVIII, em madeira e ferro, possivelmente de guardar o sacrário na sua primitiva igreja. Destaca-se ainda um presépio do século XVIII/XIX em terracota, composto por oito figuras: A Natividade, o grupo escultórico central com a Sagrada Família e dois anjos.

Na pintura destacam-se as quatro tábuas do primitivo retábulo atribuído ao pintor Cristóvão Vaz, executado em 1590, com representações de Nossa Senhora das Misericórdias, Visitação, Cristo com a Cruz às Costas e Ressurreição. Remontando ainda à época da fundação existem as bandeiras da Procissão das Endoenças representando um Cristo escarnecido, uma deposição no túmulo e um par de anjos tenentes.

Do século XVIII há a bandeira da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Cascais, que no anverso apresenta a representação da virgem da Misericórdia e no reverso a Virgem da Piedade. Do século XX assinalamos um ex-voto do Sagrado Coração de Jesus e ainda dois quadros de Francisco Romano Esteves, representando a Visão de São Francisco e Esperando o Fim.